secretaria@ehr.ufmg.br | 31 3409 1870

Reservatório Serra Azul (Juatuba – MG) em 26/10/2017

A escassez de água em regiões metropolitanas pode refletir-se de maneira intensa na atividade econômica local, regional e até mesmo nacional. Ela também resulta em impactos socioeconômicos e ambientais em diversas escalas. No Brasil, a crise hídrica vivenciada nos últimos três anos em algumas regiões, a exemplo das regiões metropolitanas de Belo Horizonte, Brasília e São Paulo, revelou a fragilidade das grandes metrópoles brasileiras diante da escassez hídrica, assim como evidenciou diversas falhas e oportunidades de aprimoramento na gestão dos recursos hídricos em escala metropolitana.

Foi dentro desse contexto que realizou-se em outubro, no campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o 1º Workshop sobre Gestão e Modelagem de Mananciais Metropolitanos. Durante quatro dias, 97 participantes, entre estudantes de graduação e pós-graduação, técnicos e gestores de instituições públicas e profissionais ligados à área se capacitaram, aprenderam sobre experiências nacionais e internacionais e debateram a respeito das crescentes pressões antrópicas sobre os recursos hídricos, possíveis soluções e alternativas de mitigação de seus impactos.

 

Palestrantes de várias cidades brasileiras (São Paulo, Brasília, Lavras, Viçosa, Extrema, Igarapé, Foz do Iguaçu) e de vários países (França, Reino Unido, Rússia e Estados Unidos) apresentaram suas experiências com a gestão dos recursos hídricos, o manejo integrado do solo e da água, o monitoramento e a modelagem de bacias e reservatórios, a recuperação de mananciais e bacias hidrográficas e pagamentos por serviços ecossistêmicos. Também realizou-se, com o apoio da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA), uma visita ao reservatório Serra Azul, que compõe o sistema integrado de abastecimento da região metropolitana de Belo Horizonte e é o reservatório mais impactado pela crise hídrica na região.

A realização desse Workshop foi possível graças ao apoio da Escola de Engenharia da UFMG, da COPASA e da Vale. O evento insere-se no âmbito do projeto de pesquisa “Modelagem de mananciais metropolitanos estratégicos como insumo para a gestão de água e território face à mudança climática – MoMa-SE”, financiado pela Agência Nacional da Água (ANA) e pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O projeto é coordenado pelo prof. Nilo de Oliveira Nascimento (Departamento de Engenharia Hidráulica e Recursos Hídricos – EHR/ UFMG) em parceria com pesquisadores da UnB (Brasília), USP (São Paulo) e do LEESU/ENPC (França). Na UFMG, também compõem a equipe do projeto os professores Julian Eleutério (EHR) e Talita Silva (EHR), alunos de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado.

Parte da equipe do MoMa-SE na UFMG. Da esquerda para direita: Felipe Laender, Vanessa Cançado, Edilaine Cândido, Ana Luiza Cunha, Letícia Lima, Nilo Nascimento, Ana Clara Matos, Talita Silva, Nívia Rodrigues e Julian Eleutério.

Maiores informações sobre o MoMa-SE podem ser obtidas na página eletrônica do projeto.  Em breve, as apresentações dos palestrantes do Workshop serão disponibilizadas nesse endereço eletrônico e encontra-se em desenvolvimento a elaboração de um livro com uma coletânea de artigos produzidos pelos palestrantes do Workshop.